quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Não quer comer???

Meu filho não quer comer!

Primeiro, é preciso observar melhor se a criança realmente não esta comendo nada. Será que, ao contrário de pouco apetite, não é o prato que está cheio demais? Vale lembrar que criança não é adulto pequeno. Cada uma é pessoa única, com necessidades nutricionais específicas da idade e proporcionais ao seu próprio gasto de energias. Assim, o Pedrinho come mais que o Joãozinho, ficando claro que ambos têm uma saúde de ferro.

Outra questão a ser lembrada é se a refeição recusada não acaba sendo substituída pela mamadeira. Seu filho certamente já notou que a birra na hora de comer faz surgir aquele leitinho de que tanto gosta. Daí a manter a boca fechada é um pulo.


Costuma resolver

Experimente colocar pouca quantidade no prato de cada vez. Uma montanha de comida é, no mínimo, desestimulante, dá vontade de desistir.
Não force para que a criança coma tudo, mas, caso isto aconteça, elogie e...repita a dose.
Evite oferecer líquidos (água ou sucos) durante as refeições. Deixe para depois ou reserve para os intervalos entre elas. Tudo para preservar o apetite.
Se a criança recusar os outros alimentos pedindo mamadeira, insista para que coma. Caso isto não aconteça, dê a mamadeira com uma quantidade de leite, cada vez menor. Quando seu filho reclamar de fome, ofereça de novo a comida.
Não permita que coma biscoitos e iogurtes em excesso nos intervalos. Opte por uma fruta que é saudável e digerida em menos tempo, o que garante a fome na hora da refeição.


1 a 2 anos

Eles preferem brincar

A partir do primeiro ano de vida, a prioridade absoluta é se movimentar, aprender a andar sozinha, brincar. Quem disse que a criança vai largar o que está adorando fazer só por que está na hora do almoço? Uma boa idéia, então, é começar a chamá-la uns dez minutinhos antes para que conclua a brincadeira e almoce em paz, sem brigas.

É importante que ela se adapte a esta rotina: horário certo e o seu lugar de comer. No fim de semana, é claro, pode-se abrir uma exceção para não prejudicar o programa da família. Mas, veja bem, trata-se de uma exceção. A regra é diferente.


Se a criança se mostra ativa e sua curva de crescimento (peso e altura) é normal para a idade, não há porque se preocupar. Qualquer dúvida, converse com o pediatra. E nunca dê remédios, estimulantes de apetite ou vitaminas, sem consultá-lo antes.

O que agrada

Sabores doces; alimentos na consistência de purês; comidas com um pouco de sabor, por exemplo, um pouco de sal ou temperadinha com um pouco de cebola.

O que não faz sucesso

Verduras. (coma saladas na frente de seu filho. Os pais servem de espelho para suas crianças); legumes. (arrume o prato bem colorido); alimentos salgados, temperados demais ou com muito molho; frutas ácidas; novidades diárias no cardápio.

Fonte

5 comentários:

Maria José disse...

Que post espectácular, obrigada pelas dicas
bjokas

Talita Alves. disse...

Oi, Julianna!

Te mandei um e-mail sobre o teu blog. Me responde no talita@garageim.com assim que puder?

Obrigada!

Dri disse...

Oi, nossa que dica!!
Alimentação é muito importante!!
O Caio graças À Deus é muito bonzinho pra comer, ainda não rejeitou nada!!
Beijokas e ótimo Domingo.
DRI

Anônimo disse...

ola

tinok disse...

Olá,
Gostaríamos de mandar sugestões de pautas de nossos produtos. Qual o email para envio?
Att.
Tinok – www.tinok.com.br – tinok.com.br@hotmail.com
Visite nosso perfil no facebook: http://www.facebook.com/profile.php?id=100001355149631&ref=search