segunda-feira, 2 de julho de 2007

Bebê mal compreendido

"Vida de bebê não é fácil", resume a psiquiatra Maria José Franklin Moreira, que foi coordenadora do setor de Saúde Mental da Criança, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). "Ele chora porque sente calor e a mamãe oferece o peito imaginando que o choro é de fome, ou está louquinho para descer do colo e o papai insiste em balançá-lo porque pensa que é manha de sono e quer fazê-lo dormir". Em situações como essas, a criança tem todo o direito de ficar irritada e manifestar isso do único jeito que pode: abrindo o maior berreiro, jogando coisas no chão, mordendo a mamãe ou dando um tapa no nariz do papai. Mas as coisas não precisam chegar a esse ponto. Mesmo que ainda não tenham desenvolvido a expressão verbal, bebês se comunicam o tempo todo com o corpo e as expressões faciais. "Mamães atentas, sintonizadas com seus filhotes, têm mais facilidade em interpretar as sinalizações de desconforto e resolvem o problema antes que o pequeno comece a bufar de raiva", explica Maria José.

4 comentários:

Mestre disse...

Sou mãe contou e eu espalhei aqui em Nazaré:-). Parabéns pelo filho, muita saúde e paz.

Um abraço.

Licença-maternidade agora é lei no Recife disse...

O plenário da Câmara Municipal do Recife aprovou, nesta manhã, em segunda votação, a emenda da Licença-Maternidade de 180 dias (seis meses), de autoria do vereador petista Mozart Sales, incluída na pauta de revisão da Lei Orgânica do Recife.

O líder do PT na Câmara diz que 10 mil servidores serão beneficiadas com a nova lei a ser promulgada nos próximos 15 dias pela Casa de José Mariano.

De acordo com o vereador há vários estudos científicos - da Sociedade Brasileira de Pediatria e da Organização Mundial de Saúde - recomendando a ampliação do prazo de gozo da licença maternidade para garantir a amamentação exclusiva por mais tempo. “Essa medida reduz em 14 vezes as internações das crianças nos primeiros anos de vida. Com isso, as mulheres também faltam menos ao trabalho porque as crianças adoecem menos” salientou. O Ministério da Saúde recomenda amamentação exclusiva até os seis meses de idade.

Sales destaca o entendimento e o diálogo mantidos com os parlamentares da Casa de José Mariano. “Na realidade, os vereadores do Recife foram sensíveis a nossa emenda e, sem dúvida alguma, deixam registrados seus nomes na revisão da Lei Orgânica. Colocamos o Recife na mesma condição de algumas capitais e Estados brasileiros”, frisou o vereador. Sales citou também a iniciativa das cidades de São Luiz, Vitória, Porto Velho, Natal, Fortaleza e Macapá.

Os estados da Paraíba, Amapá e Rondônia já ampliaram o tempo de duração do benefício para as suas servidoras. O governo de Pernambuco também aprovou na semana passada a matéria na Assembléia Legislativa, garantindo a licença-maternidade no âmbito do serviço público estadual. A Lei que aumenta a licença-maternidade das servidoras do Estado para 180 dias foi sancionada no dia 21 de junho passado. Benefício atinge 122 mil servidores. Em Pernambuco, os municípios Petrolina e Pedra já concederam esse direito às servidores municipais.

Anônimo disse...

QUE MARAVILHA!!!! , PARABÉNS!!!

VOU MARCAR PRÁ COMEMORAR UM DIA QUE PODEMOS ALMOÇAR JUNTAS. VAMOS FAZER UM CHÁ DE BEBÊ AQUI.

BJOS

Maria Zelia (EX-IAC)

Anônimo disse...

pled integrator policeman awful besselaar hobby hoechst localisation optimistic aelaalrl dear
semelokertes marchimundui